Teoria e Prática

Repassando o blog

Posted on outubro 22, 2010. Filed under: Teoria e Prática |

Ola pessoal, tudo bem?

Faz algum tempo que nao atualizo o blog.  O motivo é falta de tempo mesmo, pois, estudando e trabalhando meu tempo realmente esta curto. Mas para nao prejudicar o andamento do blog estou abrindo espaço para uma de nossas coordenadoras de Unibiotica que possui um grupo em Belo Horizonte. Ela pratica a unibiotica a muitos anos, tem muita experiencia, alem de ministrar cursos. Ela estará responsavel pela maior parte das atualizacoes do blog. Estarei esporadicamente publicando algum artigo dos livros do Dr. Yum, porem será em uma frequencia menor.

Desde ja agradeço a todos pela compreensao! Obrigada a todos pela visita!

Regina

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( 5 so far )

Constituição corporal acida e alcalina

Posted on fevereiro 6, 2010. Filed under: Teoria e Prática |

Constituição corporal acida e alcalina

“Uma pessoa que tem a constituição mais acida geralmente é gorda. Qualquer esforço lhe dá cansaço – pelo contrario, a constituição alcalina é de pessoas magras, para quem, quanto mais esforço físico, melhor.

As pessoas de constituição mais acida são sonolentas. Quando dormem pouco, se sentem pesadas – pessoas mais alcalinas, magras, portanto não se incomodam quando dormem pouco. Não demonstram cansaço e com pouco se recuperam.

Uma pessoa mais acida gosta muito de café e isto não lhe atrapalha o sono – pelo contrario, a constituição mais alcalina leva a pessoa à falta de sono e tomar café.

Uma pessoa acida age mais por impulso, é bastante sentimental e concorda facilmente com as idéias dos outros – a pessoa alcalina não se deixa levar pro qualquer idéia, não combina rápido com os outros e sempre duvida.

Excesso de acido gera febre, vômitos, arteriosclerose, hemorragia, diabete e resfriado.

Excesso de alcalino gera diarréia, asma, câncer e hipotensão.

Carne demais, banho em água fria e estados de zanga aumentam a quantidade de acido no organismo. Repouso exagerado, banho quente, estados de riso e respiração profunda aumentam a quantidade de alcalino do organismo.

Devemos evitar os extremos e sempre buscar um meio termo.”

Texto retirado do livro “Doenças – causas e tratamentos” –  autor: Dr. Yum – Imprensa Oficial do Ceará – 1982.

Desculpem pela demora em postar novos artigos, estou tentando procurar textos com novas informações sem ficar repetindo informações que já estão no blog. Mas não esqueci do blog. No mais obrigada a todos pela visita.

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 8 so far )

Jejum: a perfeição da irracionalidade

Posted on setembro 16, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

jejum1

“A prática do jejum, antigamente, destinava-se a atingir vários objetivos. Existe uma vasta literatura com depoimentos comprobatórios da eficácia do jejum na cura de doenças incuráveis, através da recuperação celular. O regime, hoje em dia, está na moda, sendo também, considerado uma forma de jejum, ou seja, funciona como um semi-jejum.

O autor tem orientado a prática do jejum há mais de 20 anos, encontrando sempre resultados que só tem comprovado a grandeza dos seus efeitos benéficos. Casos de enfermidade de fígado, do coração, dos rins, diabetes, problemas de pele e catarata, entre outros, desenganados pela Medicina Moderna, foram recuperados pelo jejum. A terapia do jejum foi-nos transmitido pelos antigos. É um grande legado. A eles devemos gratidão.

Qual a relação existente entre jejuar e melhorar a saúde?

Podemos pensar que o jejum faculta a desintoxicação geral do corpo. Mas, cientificamente, é um método de estimulo, de aperfeiçoamento do mecanismo, de reversibilidade entre sangue e células. O corpo é composto por células formadas pelo  sangue o qual, por sua vez, se forma pela alimentação. A doença é, pois, gerada por células anormais provenientes das impurezas do sangue. Por exemplo, ao se ingerir bebidas alcoólicas, a pele fica vermelha, a circulação se acelera, a pressão sobe e a mente se desequilibra. Pelo jejum, as células anormais retornam para o sangue e, pela aceleração da circulação, elas se auto-purificam através da excreção dos rins, da pele e dos intestinos. Todos os animais praticam, instintivamente, essa forma de terapia. Eles não fazem uso de remédios e não têm hospitais, mas vivem com boa saúde, muitas vezes morrendo de forma natural. O fenômeno da reversibilidade é a eternidade da lei da Natureza.

Podemos dizer que a formação da cadeia alimentar gera sangue e o sangue forma a celular. É um fenômeno racional. O desaparecimento ou recuperação das células anormais revela o processo da reversibilidade que é, em si mesmo, um processo de recuperação de doenças. O jejum possibilita que órgãos que excretam de substancias nocivas trabalhem melhor ( menos sobrecarregados ). Sintomas como tonteira, vômitos e dores de cabeça são apenas, parte do processo de normalização, liberando o organismo do acumulo de impurezas. Essa grande limpeza não pode ser comparada a nenhum medicamento ou prática médica.

Ao término do jejum, a vitalidade aumenta muito, dando ao organismo maior resistência contra as enfermidades.”

Texto retirado do livro: ABC da Saúde I – Autor: Dr. Yum – Editora: Convite do Brasil – 1988.

Desculpem pela demora em atualizar o blog ( novamente! Rsrs está virando hábito ). Obrigada a todos pela visita!

Regina 😉

Ler Post Completo | Make a Comment ( 5 so far )

Tente primeiro

Posted on agosto 9, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

Caca-Fotografica-08

Não fique doente; se ficar tente primeiro

“A Unibiótica é bem diferente da Medicina Tradicional. Por isso, há uma necessidade de conhecer o conceito básico da doença através da Unibiótica. Até agora considerávamos que a doença era um castigo da natureza, dos vírus e bactérias. Mas esse tipo de pensamento não é correto, pois a natureza não é um ser que atormenta o homem, pelo contrario, o ajuda. Precisamos nos conscientizar de que a doença não vem da natureza; é sim, fabricada pelo homem, quando este leva uma vida errônea e artificial.

Toda a responsabilidade sobre a doença cabe ao individuo de maneira particular, a à sociedade, de forma mais ampla. Quando acumulamos lixo, surgem moscas e vermes, ocorrendo a putrefação.

O ponto de vista da Unibiótica é diferente, porque consideramos nosso corpo tão perfeito como a natureza, portanto, suas reações são como as da natureza. Então a doença é uma fase de tratamento.

Em certos casos não há necessidade do uso de remédios. Na maioria dos casos o uso de remédios contraria a ação da natureza e não elimina o problema, apenas esconde seus sintomas. Controlar a doença artificialmente, através de remédios, significa atrapalhar o trabalho da natureza para conseguir a recuperação.

A medida que se pratica a Unibiótica, a saúde será perfeito, até no sentido mental. Terá ótima memória e facilidade de raciocínio. A melhora será em todos os sentidos. Podemos considerar a Unibiótica como uma medicina psicossomática. Seus princípios podem ser aplicados para qualquer tipo de doença.

Sobre a alimentação, existem muitas coisas importantes, pois ela, no caso de um enfermo, terá de ser cuidadosamente selecionada, sendo diferente de uma pessoa sadia. Geralmente, o enfermo deve se privar de alimentos tais como ovos, leite, açúcar, álcool e seus derivados. Sua alimentação deve se constituir e alimentos ricos em vitaminas, principalmente de vitamina C, como verduras e cereais ( integrais ). A cada 30 minutos beber um gole de água.

Nutrindo-se de alimentos altamente calóricos, estes não só prejudicam a purificação do corpo, como até chegam a poluí-lo mais ainda. Alimentando-se assim, é como jogar gasolina na fogueira, nutrindo as bactérias e vírus que estão no interior do organismo. O ideal é ingerir mais de 5 tipos de vegetais ( 50% raízes e 50% folhas ) cortados em pedacinhos e levemente temperados.

Já comprovei que a postura mental ao ingerir o alimento trás ótimos resultados. Ao alimentar-se deve-se fazê-lo com o pensamento de estar ingerindo a vitalidade da verdura do campo, sem agrotóxicos ou outros produtos nocivos. Devemos aumentar a quantidade de alimento, de acordo com a recuperação e as condições físicas do enfermo. Quando o doente não estiver em condições de comer verduras, então, poderá ingeri-las na forma de suco. O suco de frutas é também um bom alimento, mas as verduras possuem mais vitalidade que as frutas. Se o corpo do enfermo rejeitas até mesmo isso, então ele deve fazer jejum, ingerindo apenas água.

O jejum é o melhor conselheiro. Quando se sente fome qualquer alimento nos parece ótimos e saborosos. Não se deve pensar que o enfermo que já esta fraco, ficará mais fraco fazendo jejum, pois o jejum tem a função de recuperar a saúde, e consequentemente dar ao organismo as condições necessárias para receber os nutrientes. Os animais da natureza se recuperam facilmente da doença mesmo sem o auxilio de remédios ou médicos. Isso porque, quando eles ficam doentes, fazem jejum ( perdem a fome ).

O autor jejuou 24 dias e já suportou 90 dias apenas com dez grãos de soja e água diários. Não se deve preocupar em demasia com a perda de peso. Se pensarmos bem, é um fenômeno natural. Veja como é estranho um doente engordar. Comendo-se muito para engordar, se está alimentando também a doença, e o corpo ao invés de engordar, ficará inchado.

Se pensarmos que a perda de peso é apenas desinchação e enfraquecimento da doença, ficaremos com a mente mais tranqüila. Teremos muitas oportunidades de comer quando recuperarmos a saúde, mas se não conseguirmos controlar a gula e nos alimentarmos em demasia principalmente após o jejum, ficaremos mais prostrados. A obesidade está entre os principais fatores de risco para a saúde.

Ao praticar a Unibiótica, frequentemente ocorrem certas mudanças no organismo. O leito deve acreditar em seu corpo. O organismo é como a natureza: ele possui todo o mecanismo para se recuperar de qualquer doença. Por isso, é mais fácil recuperar da doença do que cair nela. O corpo, assim como a natureza, é perfeito. Para vencer a doença fisicamente é preciso, primeiro, vencê-la mentalmente e acreditar que a recuperação é sempre possível, e qualquer outra idéia ao contrario disso é errônea.”

Texto retirado do livro: Irrigação da Vida – Autor: Dr. Yum – Editora Convite do Brasil – 1986.

Desculpem pela demora para atualizar o blog! Tive alguns problemas com o site e não estava conseguindo acessar para fazer a atualização. Mas agora parece que voltou ao normal e estarei atualizando normalmente.

Obrigada a todos pela visita e um ótimo fim de semana!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

pH corporal

Posted on julho 26, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

Desequilíbrio ácido-básico do corpo ( pH )

“Quando nosso organismo está sadio, mantém seus líquidos internos ( sangue e linfa ) nem ácido, nem alcalino, ficando neutro, mas conservando na realidade um pouco mais de alcalinidade: 7,2 a 7,4.

O equilíbrio do pH é de grande importância para manter a saúde. Estimulando o sistema simpático, os fluídos do corpo se inclinam para o ácido; estimulando o sistema parassimpático, estes fluídos se tornam alcalinos. A maior causa das doenças ( 70% ) está no excesso de acidez do organismo. Como exemplo podemos citar: a cardiopatia, diabetes, hemorragia cerebral, hipertensão arterial e a gripe. Trinta por cento das doenças são decorrentes da condição orgânica, alcalina, tais como: as doenças do estômago de modo geral, câncer, asma e convulsões.

Para saber em que condição se encontra o corpo, podemos utilizar os seguintes parâmetros: olhos, cabelo, atividade, sono, mãos e doenças.

pH ácido:

– olhos: pupila contraída e voltada para o canto externo do olho

– cabelo: calvo

– atividade: muito ativo, se cansa facilmente

– sono: sonolento

– mãos: dedos inclinados para o lado do polegar

– doenças: hipertensão, diabetes, cardiopatia, renais, etc

pH básico ou alcalino

– olhos: pupila dilatada e voltada para o canto interno do olho

– cabelo: cabelo branco

– atividade: melhora do movimento do corpo

– sono: dorme pouco, mas recupera-se rapidamente

– mãos: dedos inclinados para o lado do mínimo

– doenças: hipotensão, câncer, tuberculose, gastro-intestinais

Normalmente, proteína animal, açúcar, cloro, tristeza e banho frio, provocam condição ácida. Verdura cozida, sal, riso, repouso, alegria, banho quente favorecem a condição alcalina.

Nosso organismo está sempre em movimento, realizando o metabolismo, produzindo gás carbônico e ácido lático. Deste modo forma-se a condição ácida. Mas, pelas funções naturais; o nosso organismo elimina a acidez, através da respiração e da produção de amônia pelos rins. Por isso, praticando banhos alternados, inferindo verduras cruas e fazendo a ginástica da Unibiótica, manter-se-á a condição orgânica neutra. E o uso das verduras cruas é essencial para se conseguir essa neutralidade.”

Texto retirado do livro: Curso de Medicina Naturalista – Autor: Dr. Yum – Gráfica Conselheiro – Data: ???

Um forte abraço a todos e obrigada pela visita!

Regina 😉

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Tratamento através da alimentação crua

Posted on julho 19, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

hortfruti

“O tratamento via alimentação natural usa verduras cruas e ás vezes pó de arroz integral cru. No caso de usar o pó de arroz é aconselhável tomar bastante água para não ter prisão de ventre.

É interessante observar que o homem não é tão dependente das calorias dos alimentos. Pode parecer ate absurdo que o homem consiga sobreviver comendo apenas verduras, com uma quantidade muito pequena de calorias. Mas não é. Isso ajuda a fortalecer o corpo enfraquecido. O uso de alimentos de origem animal pode causar doenças nos rins, arteriosclerose, hemorragia cerebral, hipertensão, etc.

Deve-se comer 5 tipos de verduras diferentes. Caso não seja possível, 3 tipos é suficiente para ter bons resultados no organismo. Ao se comer folhas e raízes é importante manter a proporção de um para um ( uma folha – uma raiz ). As folhas verdes possuem muita energia solar em forma de vitamina C ou clorofila, e as raízes, muitos sais minerais. Por isso é importante manter o equilíbrio desses alimentos através da proporção.

Não são recomendáveis alimentos crus que possuem um gosto muito forte. Para uma modificação profunda no corpo, as frutas devem ser utilizadas em pequena quantidade, devido a sua pouca eficiência em modificar o organismo.

As folhas devem ser picadas e as raízes moídas com mostarda. Em seguida misturam-se as duas partes. Consumir logo após o preparo. Sempre cruas. Pois o cozimento elimina muitos nutrientes.

Geralmente a quantidade consumida durante um dia é cerca de 1.100 a 1.300 gramas de verduras e raízes, divididas durante o decorrer do dia.

Depois de 45 dias de alimentação com verduras cruas, o nosso organismo se torna neutro, melhorando a evacuação. Neste período o nosso organismo vai se modificando e rejuvenescendo, alem de eliminar doenças e diversos outros problemas devido a uma má alimentação. Mas com 10 ou 15 dias de tratamento já se notará bons resultados.

Após esse período de tratamento a base de verduras cruas, deve-se retornar a alimentação habitual de forma gradual, diminuindo-se as verduras e adicionando outros alimentos habituais. Mas nunca cortar de vez as verduras. Elas devem estar presentes durante toda a nossa vida. Esse tratamento previne qualquer tipo de doença, alem de adquirir rejuvenescimento.

Os efeitos fisiológicos de uma alimentação natural:

– uso da energia solar contida nas folhas verdes

– uso dos minerais que estavam disponíveis no solo

– absorção da vitamina C

– quantidade reduzida de sal ( o excesso de sal é um dos fatores de diversos problemas )

– eliminação das gorduras nocivas no organismo

– rejuvenescimento das células

– normalização da circulação sanguínea

– purificação do organismo

– melhora a evacuação

Não esquecer de beber bastante água durante o dia, mesmo que não esteja com vontade ( 2 litros são o ideal ).  O ideal é tomar um gole a cada 30 minutos.”

Texto retirado do livro: Doenças – Causas e tratamentos – Autor: Dr. Yum – Imprensa Oficial do Ceará – 1982.

Obrigada a todos pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 6 so far )

Vitamina C e chá de folhas de caqui

Posted on maio 31, 2009. Filed under: Alimentos, Teoria e Prática |

limao

“As verduras são alimentos alcalinos, essenciais para o corpo, contendo sais minerais, indispensáveis para as funções físicas e mentais do ser humano. Alguns estudos foram feitos e Samuel Anderson declarou algumas observações:

– Faltando cálcio no organismo, não há desenvolvimento físico e mental.

– Sem equilíbrio de potássio e sódio, ocorre desequilíbrio da ordem interna do corpo.

– Sem enxofre, há enfraquecimento dos ossos.

– Sem silício, perde-se a capacidade de ter paciência.

– Faltando magnésio, há enfraquecimento dos ossos e dos músculos.

– Faltando sal, ocorre o enfraquecimento geral do corpo e moleza.

– A carência de cobre, pode agravar a tuberculose.

– A falta de fósforo, ocasiona perda da capacidade intelectual.

– Sem flúor, há falta de tônus muscular.

– Entre outros distúrbios.

Essas constatações mostram que a falta de determinadas substancias ao organismo podem gerar ou agravar distúrbios. Mas quero falar um pouco de outra substancia essencial ao organismo: a vitamina C.

Efeitos de sua carência

A carência de vitamina C, no organismo, provoca sangramento gengival, amolecimento dos dentes, dor na boca, hemorragias, dor nas extremidades  do corpo e escorbuto. A carência dessa vitamina, compromete a formação de colágeno e osteóide provocando  deficiência de cicatrização, enfraquecimento dos ossos, das paredes dos capilares e dos glomos. A falta da vitamina C pode causar até a morte em alguns casos mais graves.

A vitamina C previne doenças como a gripe e problemas de pele. Portando a ingestão de alimentos que contenham vitamina C é indispensável. Por tudo isso, uma alimentação saudável rica em verduras cruas é ideal para a saúde.

Vale lembrar que alimentos como carne, ovo, peixe, leite, cereais e verduras cozidas são pobres ou desprovidas de vitamina C.

Nos casos de irritação dérmica ( coceira ), passar extrato de folha de caqui, com gase, no local irritado, traz bons resultados. Para ferimentos na gengiva, aplicar o mesmo método. Ocorrendo catarata ou irritação nos olhos, lavar os olhos com uma solução preparada com 10% de leite de magnésia e 90% de chá de caqui ( deixar por uma noite o resto do chá de caqui na água fria e misturar com o leite de magnésia ).

Alimentos que são boas fontes de vitamina C ( em ordem de maior quantidade de vitamina C para o de menor quantidade de vitamina C ):

Folha de caqui ( maior concentração de vitamina C )

Pimenta verde

Alga

Salada comum

Batata doce

Cebolinha

Espinafre cru

Nabo

Laranja

Limão

Vagem

Tomate

Pêssego

Repolho

Tangerina

Alho

Melão

Cenoura

Mamão

Alface ( menor concentração de vitamina C )

Etc….

Chá de folhas de caqui

caquizeiro

O chá de caqui é uma ótima fonte de vitamina C. Ao se preparar o chá, não se deve cortar as folhas muito estreitas. O chá deve ser feito por infusão, na água quente, por alguns minutos, ou na fria por uma hora. Jamais deve ser fervido. Pode-se adoçar com mel ou açúcar, mas o mínimo possível. Antes de fazer o chá, deve-se secar as folhas por um ou dois dias no máximo ( 3 dias as folhas já perderam as suas propriedades ).”

Texto retirado do livro: ABC da Saúde I – Autor: Dr. Yum – Editora: Convite do Brasil – 1988.

Obrigada a todos pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 4 so far )

Como nasceu a Unibiótica

Posted on março 26, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

unibiotica2

“Para criar a Unibiótica, pratiquei e pesquisei as 362 técnicas de Medicina em toda a história. Entre elas havia aquelas que eram totalmente inviáveis e piores, eram anatomicamente incoerentes. Algumas eram aparentemente funcionais, mas sua prática mostrou que causavam sérias conseqüências. Se estas conseqüências fossem uma reação, era aceitável, mas eram efeitos colaterais maléficos. Algumas apresentavam os efeitos colaterais uma semana após a prática, outras três meses depois.

Quando pesquisei suas causas, algumas me causaram grande espanto, pois elas estavam escondidas em lugares que jamais se podia imaginar. Mas cada uma delas, em muitos casos, possuíam efeitos parciais. Se decorrente desse feito quebrar uma parte do corpo, então esse não poderá ser o verdadeiro método de saúde.

Alguns afirmavam que com apenas o fortalecimento muscular, se podia alcançar a saúde e outros afirmavam que eliminando os agentes patogênicos como vírus e bactérias, o homem alcançaria a saúde.

O mesmo tempo que pesquisava as 362 técnicas, pesquisei também sobre os criadores de cada técnica. Eles criaram diversas técnicas mas, eram acometidos de vários problemas, como problemas de coluna, outros de nariz e alguns de pulmão, etc. Os métodos só serviam para aqueles que tivessem os mesmos problemas do criador do método. Para os que sofriam de distúrbios diferentes, muitos não conseguiam alcançar a saúde.

Por isso, eu criei a Unibiótica, com a finalidade de mostrar o caminho da saúde à toda humanidade, sem discriminação de raça, idade, sexo, que objetiva uma terapia total e não parcial como muitas outras.

A seguir, apresento-lhes os 18 teorias que contém as 362 técnicas, praticadas por mim para criar a Unibiótica.:

1 – Teoria que se baseia em exercícios para o fortalecimento do físico ( musculação, ginástica, etc ).

2 – Teoria baseada na postura correta do corpo.

3 – Teoria que vê a pele como ponto central de defesa do organismo.

4 – Teoria centrada no conhecimento da coluna vertebral.

5 – Teoria baseada no conhecimento e atenção aos intestinos.

6 – Teoria que analisasse os vírus e bactérias.

7 – Teoria da nutrição, reeducação alimentar.

8 – Teoria da respiração profunda e rítmica; Yoga.

9 – Teoria da acupuntura, controle dos nervos e sistema nervoso.

10 – Teoria que estuda a mente, terapia sugestiva e psicológica.

11 – Teoria da crença num ser superior, criador de todas as coisas.

12 – Teoria que usa os remédios como principal forma de tratar as doenças.

13 – Teoria do uso da água para eliminar substancias tóxicas.

14 – Teoria do naturalismo.

15 – Teoria que estuda o olho e o relaciona com a mente e outros órgãos.

16 – Teoria que estuda o nariz do Dr. Bonier.

17 – Teoria que estuda o pé como fator determinante no aparecimento de doenças.

18 – Teoria que estuda as forças baseadas no yin e yang.

Desses métodos tentei unir os pontos em comum e os que traziam benefícios sem efeitos colaterais. Dessa analise surgiu a Unibiótica, que nada mais é que a filosofia da natureza, é a ciência baseada nas leis da Natureza, é a educação para conhecer e respeitar a natureza e é a religião da própria vida. É um método onde a compreensão do principio de saúde e tratamento é fundamental para a manutenção da harmonia e união do corpo e mente.”

Texto retirado do livro: Irrigação da Vida – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1986.

Obrigada pela visita e um ótimo fim de semana a todos!

Regina 😉

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Relação dos intestinos com outros orgãos

Posted on fevereiro 19, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

Relação dos intestinos com outros órgãos

– Intestino e cérebro

Na faculdade de Keyo, do Japão, o Prof. Kawagami, pesquisando sobre intestinos, descobriu o seguinte: fazendo autopsia em 100 cadáveres, constatou que em 97,7% deles a causa-mortis era por hemorragia cerebral. Pra cerca de 93% desses 97,7%, não foi encontrada a causa-mortis que foi encontrada pelo professor Kawagami, os médicos não sabiam qual era a causa.

O professor então começou a fazer experiências em coelhos para tentar encontrar argumentos concretos de sua descoberta. Trabalhou focando problemas no intestino dos animais e analisou a morte desses animais. Imediatamente após, fazendo a autopsia, constatou hemorragia cerebral. Havia pontos de bloqueio dos intestinos e a hemorragia cerebral estavam correlacionados. Essas correspondências fizeram com que ele concluísse haver uma interligação direta entre intestinos e cérebro. Outras experiências foram feitas e fizeram com que o professor chegasse a seguinte conclusão:

Quando os intestinos estão bloqueados por muito tempo, geram um tipo de substancia tóxica que é transmitido ao cérebro, provocando dilatação, rompimento ou paralisação das veias sanguíneas no cérebro.

O bloqueio dos intestinos significa prisão de ventre, ou seja, presença de fezes ressequidas, impedindo o seu funcionamento.

– Intestinos e membros

Mãos e pés frios são indicio de fezes ressequidas. Isto é justificável, pois, os intestinos, estando bloqueados, afetam o cérebro e este, por sua vez, sendo o centro de controle do movimento dos membros influi sobre os mesmos.

– Intestinos e pressão sangüínea

A prisão de ventre e as fezes ressequidas são grandes causadoras de problemas de pressão arterial. A origem dos distúrbios da pressão esta nos intestinos.

– Prisão de ventre e hemorróidas

As hemorróidas também são provenientes das fezes ressequidas pela prisão de ventre. Não havendo prisão de ventre não há o que falar de hemorróidas. Animais selvagens não tem prisão de ventre e nem por conseguinte, hemorróidas.

– Beleza e intestinos

Há um provérbio que diz que os intestinos limpos valem mais do que uma tonelada de cosméticos. Todos os órgãos internos, principalmente os de excreção, funcionando bem, produzem, naturalmente, beleza. As espinhas, cravos, manchas, a coloração anormal da pele são todos indícios de presença de fezes ressequidas nos intestinos ( provavelmente causada por alimentação errada e de má qualidade ).

– Mau hálito e intestinos

Uma forma de eliminar o mau hálito é, inicialmente, estimular a evacuação.

Laxantes

Sendo as fezes ressequidas a fonte da origem de muitas doenças, torna-se necessário, em primeiro lugar, modificar e controlar a alimentação. Para tal fim, recomenda-se beber bastante água, comer verduras cruas, e EVENTUALMENTE tomar laxantes leves que não provoquem efeitos colaterais. Entretanto, não deve-se abusar do uso desses produtos, pois podem ferir as paredes intestinais e causar dependência dos intestinos, ou seja, eles só funcionarão na presença de laxantes o que não é natural e nem desejado.

Deve-se usar laxante e não purgante. O purgante provoca o retardamento dos movimentos peristálticos dos intestinos; por outro lado, provoca, também, de forma violenta, a expulsão de todos os elementos do tubo digestivo, inclusive os elementos protetores, danificando dessa forma, as paredes do mesmo.

Texto retirado do livro: ABC da saúde III – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora: Convite do Brasil – 1987.

Bem gente, boa alimentação é fundamental para o bom funcionamento dos intestinos. E vimos através desse artigo, como é importante manter a intestinos funcionando bem. E um alerta muito importante: não vamos abusar do uso de laxantes! Eventualmente seria interessante eliminar aquelas fezes velhas e ressequidas, mas sem exageros e sem abusar do uso desses produtos.

Obrigada a todos pela visita e um ótimo fim de semana!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Método negativo – Ventosas

Posted on fevereiro 15, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

Olá pessoal! Desculpe não ter atualizado o blog durante a semana. Eu estava sem internet! Mudei de prestadora de banda larga e tive que esperar eles virem instalar os equipamentos e só hoje normalizou o meu acesso.

Algumas pessoas me perguntaram sobre o método negativo. Fiz uma pesquisa nos livros do Dr. Yum e não achei informações satisfatórias, que descrevessem o método.

Por isso fiz uma pesquisa na internet e achei algumas informações interessantes que podem esclarecer mais sobre esse método.

O método tem outro nome: Ventosaterapia. Existem algumas clinicas que usam esse método alternativo, e é, basicamente o resumo do método negativo do Dr. Yum.

Achei alguns textos bem completos e interessantes. Mas como essas informações estão em outros sites, deixarei o endereço dos mesmos para que vocês possam acessar. Já que, não sei se os autores permitiriam que eu colocasse essas informações no meu blog.

Texto – Ventosas

Tratamento alternativo – Ventosas

Tratamento – ventosas

Alguns desses sites oferecem cursos e possuem telefone/email para contato.

Bem é isso! Estarei atualizando o site normalmente semana que vem ok? 😉

Um ótimo fim de semana para todos e obrigada pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Jejum – uma prática poderosa

Posted on fevereiro 4, 2009. Filed under: Teoria e Prática |

meditacao

“O jejum é um tratamento que cabe em todas as doenças. As pessoas poderão ficar sadias, fazendo jejum do que se alimentando muito. Entretanto, o jejum não é feito gratuitamente. Exige espírito de luta e muita força de vontade.

A cura fundamental para todas as doenças é trocar a constituição do corpo em primeiro lugar e inibir a prisão de ventre. Nesse processo, o jejum é o elemento principal, cujo estudo venho fazendo há dezesseis anos. Dessa forma pude construir uma teoria.

Sei que é muito difícil para o homem moderno fazer jejum, principalmente porque não tem resistência para ficar sem se alimentar pelo menos uma refeição. Porém, se aprender a maneira de fazê-lo, não é tão difícil assim.

È necessário apenas um pouco de paciência no inicio, mas também não é um tormento tão grande. Se você não tiver paciência suficiente para melhorar a qualidade do corpo e recuperar a saúde, sua vida estará sem esperanças de uma grande melhora.

Em jejum, sente-se fraqueza, porem nele está um grande objetivo: a recuperação plena da saúde.

Quando você se encontra em jejum, corta todos os alimentos externos e passa a retirar energia de seu próprio corpo. Em outras palavras, passará a gastar o saldo que estava conservado no organismo, nos músculos, etc. O sangue é purificado e desse modo ele pode expulsar sujeiras e impurezas que estavam armazenadas no organismo.

Nas mulheres com irregularidades menstruais, também se aconselha o jejum.

Podem aparecer durante o jejum os sintomas de tonteira, mal estar e fraqueza. Mas todos são passageiros.

Quando o paciente esta sem vontade de comer, aí esta exatamente a oportunidade mais natural para a pratica do jejum. Dar alimento a uma pessoa que esta sem vontade de comer é a mesma coisa que tentar acordar uma pessoa que sofreu um ataque de apoplexia. Não há sentido.

Para consertar um aparelho elétrico, em primeiro lugar corta-se o fornecimento de eletricidade. Somente depois é que se analisa o aparelho. Quando se faz o jejum, se faz uma revisão e uma limpeza geral, como se faz num carro ou num avião. Quem poderia usar uma maquina por 40 ou 50 anos, sem fazer revisão? Vi muitos pacientes sofrerem muito, só porque não tiveram a paciência de descansar, por uns dias, o corpo que trabalhou sem parar, durante toda uma vida.

Com o jejum, não só se recupera o funcionamento dos órgãos como também melhora a disposição. A cabeça fica mais leve e aumenta o desenvolvimento da intuição. Mesmo no momento em que você esteja lutando contra alguma doença, se fizer o jejum tomando água pura, posso garantir que vai melhorar.

Não pense logo de inicio fazer um longo jejum. O homem poderá começar com dois dias. Depois passará para quatro dias, depois seis, oito e depois oito, novamente. No caso da mulher, comece com três dias, depois cinco, cinco mais uma vez, depois duas vezes de sete dias de jejum.

É importantíssimo que durante o jejum se tome muita água. Não é necessário que se beba muito de uma vez, mas o ideal seria pouca quantidade durante todo o dia. A água vai hidratar o corpo, bem como auxiliar na hidratação do intestino para que se evite que as fezes restantes fiquem ressequidas, contribuindo assim para a sua eliminação.

Pessoas habituadas a fazer longos jejum podem agüentar 3 ou 4 semanas sem se alimentar, sem correrem risco de morte. Há casos de pessoas tão resistentes que ficaram 8 semanas em jejum.

Existem casos de pessoas que ficam perdidas durante muito tempo, como os náufragos e as que ficam presas em algum lugar isolado, não agüentam ficar sem se alimentar nem 30 dias. Isso porque, alem da pressão que o medo causa, elas não bebiam água. AGUA em jejum é ESSENCIAL! E deve ser tomada durante todo o dia.

Durante o período do jejum é importante levar em consideração algumas recomendações:

– Antes de entrar em jejum é aconselhável cortar as bebidas alcoólicas e o cigarro. Se tiver suspeita de vermes deve se tratar antes de fazer o jejum com remédios adequados.

– Durante o jejum, não se deve ficar deitado. Muito pelo contrario, o ideal é andar, se movimentar, continuar trabalhando ( sem grandes excessos é claro ); tomar banhos frios.

– Tomar no mínimo 2 litros de água.

Logo após terminar o jejum, é importante retornar a alimentação corretamente. No inicio faça refeições leves e evite doces, bebidas alcoólicas, fumo, comidas muito quentes, muito gordurosas, com muito sal, etc. Comece com sucos, e aos poucos vá voltando a se alimentar com comidas em estado solido, mas leves, como saladas, até voltar ao ritmo normal. Aproveite esta fase para fazer uma reeducação alimentar. Incluindo mais verduras e legumes e diminuindo o consumo de carnes vermelhas.

As fezes armazenadas saem durante o jejum ou logo após o seu termino ( com o inicio da alimentação ). São fezes velhas, duras e escuras. Durante o jejum, dependendo da duração, a pessoa emagrece caso esteja acima do peso, mas se estabilizará ao chegar no peso ideal.

É possível o aparecimento de prisão de ventre durante o jejum, caso a pessoa tome pouca água. Por isso deve-se tomar água mesmo que esteja sem vontade. O ideal seria toma rum gole a cada 30 minutos e um copo cheio ao acordar e dormir.

Depois do jejum, o funcionamento dos órgãos voltará ao normal, pois não estará mais sobrecarregado como antes.

Não é necessário fazer longos jejuns, mas deve-se fazer de vez em quando, para purificar o corpo e recuperar a saúde, pois é com o jejum que são eliminadas todas as substancias tóxicas que estão em nosso organismo.”

Texto retirado do livro: Doenças – causas e tratamentos – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Imprensa Oficial do Ceará – 1982.

O jejum realmente tem efeitos fantásticos. Fiz jejum de dois dias e me senti mais leve. Minha pele melhorou 100% ( pois sempre tive acne e não conseguia me livrar dela ) e não tenho mais acne. O primeiro dia do jejum é o mais difícil, mas no segundo a fome é bem menor, e você se acostuma muito rápido se passar do primeiro dia.

Não precisamos exagerar, ficar 2 semanas em jejum, alguns dias já são suficientes para se notar uma forte mudança no corpo ( mudança para melhor! ).

Jesus fazia jejum, Buda fazia jejum, Gandhi fazia jejum. Esses homens foram grandes mestres espirituais, e faziam jejum para purificar o corpo e a mente e não para fazer protestos. É uma ótima pratica, e quem já experimentou sabe dos benefícios.

Necessita apenas de um pouco de força de vontade para começar, pois depois do primeiro dia se torna bem mais fácil a sua pratica.

Um forte abraço e obrigada a todos pela visita!

Regina

😉

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Condição para a longevidade

Posted on dezembro 6, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

grav_velhinhos_dois-thumb

“A longevidade saudável é um desejo das pessoas modernas, nesta época de poluição generalizada. Muitas infecções e doenças por bactérias foram eliminadas pelo desenvolvimento da ciência médica de prevenção das doenças e pelos antibióticos; mas o aumento das doenças crônicas ainda é um problema da medicina moderna. Não podemos menosprezar o aparecimento de novos sintomas e doenças surgidas pela poluição, que há tempos atrás eram, até, bem raras.

Por vezes, entendemos mal a longevidade média. Pensamos que o aumento da longevidade média nos dará perspectiva de vida mais longa. Este é um grande engano. A longevidade média não diminui a taxa de mortes individuais.

É verdade que a saúde melhorou e a taxa de mortalidade infantil caiu em âmbito nacional, por força do desenvolvimento econômico. Por outro lado, porém, as doenças de adultos aumentaram.

A construção econômica acarretou a destruição da natureza, em todos os campos. A renda nacional é maior, mas, em compensação, os rios de São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, estão poluídos, e a fumaça das fabricas aumenta.

É comum dizer-se que a doença crônica resultou da vida civilizada. Supomos que a vida dos médicos é melhor e mais longa, pois conhecem medicamentos que estão sempre ao seu alcance. Na realidade, todavia, sua vida esta sujeita aos mesmos problemas de saúde de outros profissionais.

As maiores causas de morte são os acidentes ou as doenças. A razão fundamental do medo da morte baseia-se na perda da longevidade. Se gozarmos de longevidade, com o organismo forte e bom espírito, segundo uma ordem natural, não teremos medo, e a perda de longevidade não ocorrerá. O animal que deixa a vida em virtude de morte natural acostumou-se a se preparar, instintivamente, para o seu fim. O elefante, face a morte, se distancia do grupo e, sozinho, vai para um lugar, desaparecendo então.

As pessoas que gozaram suas vidas por completo, no ultimo momento, libertam-se e são capazes de prever os fatos. Os santos e os religiosos, face à morte, deixam antes uma observação. As pessoas que moram no país de longevidade como Hun-já e Kokus, levam uma vida ativa e alegre, mesmo na velhice. Assim como a vela que queimou e expira sozinha, os homens que usufruíram bem a vida, não tem medo de morrer. Ao contrário, ficam felizes e satisfeitos.

Os homens de maior longevidade foram excelentes em seus hábitos alimentares. Não comiam carne. As pessoas devem alimentar-se com arroz integral, vegetais, praticar jejum e caminhar uma vez por semana, no mínimo. Assim, é possível limpar o sangue e os intestinos. O tratamento para doenças crônicas é remédio baseado em redução alimentar, o que reduz a elevada nutrição. O nosso sistema objetiva livrar o individuo dos elementos tóxicos e residuais, sem adicionar qualquer coisa ao organismo para recuperação, e tentar formar nova constituição para resistir às doenças.

Recebendo dieta natural, o corpo recupera o equilíbrio.”

Texto retirado do livro: Doenças, causas e tratamentos – Autor: Dr. Jung Suk Yum – Imprensa Oficial do Ceará – 1982.

Obrigada a todos pela visita e um ótimo fim de semana!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

A causa das doenças está no pé – parte II

Posted on novembro 19, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

pe2

Desculpem a demora para atualizar o blog. Fim de ano é complicado na faculdade, provas e mais provas e trabalhos, e todo esse blá blá blá. Mas estou atualizando o blog com a 2° parte do artigo “A causa das doenças está no pé”. Espero que aproveitem as informações!

Teoria do Dr. Scholl

“O famoso Dr. Scholl, Estados Unidos, escreveu acerca dos pés:

Os ossos e os músculos do pé estão agrupados de tal maneira que formam os arcos frontal e lateral, permitindo que, ao andar, os ossos se movimentem a cada passo. Os músculos dos pés estão ligados aos vasos sanguíneos, aos linfáticos e aos nervos de maneira impressionante e minuciosa.

Um defeito no pé pode subjulgar a saúde de todo o corpo. A dor no pé é como a eletricidade: transmite-se a todas as partes do corpo. Por menor que seja o distúrbio no pé, se não for tratado, causará sérios danos ao organismo. Se o pé tiver defeito, causará amigdalite, problemas nos olhos, ouvidos, nariz e boca. Fortalecendo-se o pé e conhecendo sua relação com outras partes do corpo, certamente, as doenças citadas serão curadas com facilidade.

A bolha e o calo no pé, o endurecimento dos dedos, as doenças de Morton, de Kohler, o pé plano, a hipersensibilidade no calcanhar ou outras doenças do pé e distúrbios nos joelhos estão sempre relacionados com amigdalite. As varizes nas pernas estão relacionadas com a escrofuloderma na região do pescoço. A dor nas pernas, bem como na região da virilha, está relacionada com dor de dente.

O cansaço físico se relaciona com defeito nos pés. O peso nos ombros e a bursite estão relacionados com a dor nos pés e com problemas no aparelho respiratório. A enxaqueca esta relacionada com um dos seguintes sintomas: dor nos pés, pernas, virilhas, distúrbios cardíacos, renais ou respiratórios.

Segundo o Dr. Scholl, durante 30 anos de vida clinica, não observou nenhuma falha nessas afirmações.

Método do Dr. Scholl referente à correção de pés defeituosos

O mais representativo dos métodos do Dr. Scholl é o uso de sapato especial. Seu método visa o repouso dos pés e leva, por isso, muito tempo para atingir o alvo. Infelizmente, o Dr. Scholl não tinha conhecimento sobre os glomos e o exercício do vaso capilar.

Na Unibiótica, através do exercício de vaso capilar que estimula a função dos glomos, a correção do pé defeituoso é alcançada num curto espaço de tempo. As doenças, como a de Morton, Soarell, Albert, se não estiverem em um estado muito avençado, podem ser curadas apenas com o exercício do vaso capilar.

Como corrigir o pé plano

Dr. Scholl explicou, da seguinte maneira, os fatores que provocam o pé plano:

– cansaço devido a longo tempo em pé

– dor nas costas dos pés

– dor no calcanhar

– inchaço no pé e calcanhar

– endurecimento dos dedos do pé e bolhas

– sensação de estar pisando em pedras

– reumatismo no pé e perna

– cansaço e puxões nas pernas ao acordar

– calo na planta do pé

– excesso de transpiração no pé

– dor no joelho ou no quadril

– desgaste irregular dos sapatos

Segundo o Autor, se o bebê não engatinhar o suficiente, por ficar o tempo todo no colo ou por ser forçado a andar precocemente, ele virá a ter pé plano quando crescer.

Para corrigir o pé plano, a Unibiótica sugere a prática do exercício do vaso capilar junto com o seguinte: na posição deitada, tentar trazer o pé, de cada vez, para a cabeça com as pernas totalmente esticadas e o pé, formando 90°, com a perna. Dessa maneira, o pé poderá ser corrigido.

O pé é a base de milhares de doenças. A Unibiótica é uma medicina que pode resolver o problema do pé e suas conseqüências.”

Texto retirado do livro: ABC da Saúde II – Autor: Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1988.

Essa parte sobre os pés é grande e por isso preferi dividir o artigo em vários outros pequenos artigos para não fique cansativo na hora de ler. Em breve estarei postando a 3° parte deste artigo ok?

Um forte abraço a todos e obrigada pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

A causa das doenças está no pé – parte I

Posted on novembro 5, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

pe

“Quando o alicerce de um edifício é defeituoso, as colunas ficam inclinadas, as paredes apresentam rachaduras e as portas ficam tortas. Da mesma forma, o pé, sendo alicerce do corpo, influencia-o assim como influencia a mente.

Não se pode fortalecer a base com medicamentos. A questão dos membros pode ser resolvida, conhecendo-se o mecanismo dos glomos na circulação.

Precionando-se, ao mesmo tempo, o quarto dedo, contando a partir do dedo maior, dos dois pés, um dos dedos apresentará maior dor. É onde está escondida a causa da doença. O pé é par ao homem o que o alicerce é para o edifício, ou a roda para o carro. O homem, com problemas nos pés e nas pernas sofrerá de distúrbios na parte superior do corpo.

O pé do homem é formado pela ligação de 26 ossos e por uma imensa rede de terminais nervosos. Por isso, o defeito no pé se propaga até o alto da cabeça. Devido à postura vertical, ereta no ser humano, o peso total do corpo é suportado pelos pés. Essa sobrecarga provoca distúrbios.

Pesquisas práticas revelam que 95% das pessoas tem problema nos pés, 100% das pessoas enfermas, também os apresenta. A doença e o envelhecimento precoce começam nos pés. A perna perde a força e o corpo parece pesar demais ao caminhar. A preguiça de andar aparece, há enrijecimento muscular, varizes, inchaços e câimbras. O pé sempre está mais frio do que o restante dos órgãos. O enfraquecimento das pernas desvia a coluna vertebral trazendo problemas da seguinte natureza aos órgãos internos e à circulação: dor de cabeça, reumatismo, cansaço, paralisação de nervos, distúrbios na garganta, nariz, visão e complicações intestinais. Além desses, podem ser incluídos problemas ligados aos rins e ao coração, à diabete e ao câncer.

Negligenciar, portanto, o papel dos pés é evitar a saúde integral do corpo. Se ocorrer cirurgia o problema volta. Por que? É que os pés não foram retificados e a raiz do problema continua viva. A retificação dos pés repara a coluna e cura, com facilidade complicações no nariz e nos olhos.

Problemas nos braços influenciam o coração ( já ouvi relatos de pessoas que foram vitimas de infartos e ataques do coração, dizerem que minutos antes de terem a crise, sentiram uma forte dor no braço ), os pulmões e os órgãos acima do diafragma. O fortalecimento das pernas e braços possibilita a cura de problemas ligados aos rins, coração, pulmão, tuberculose, etc.

Pé, causa de milhares de doenças

O pé e os quatro princípios da Unibiótica

A Unibiótica considera a relação entre seus quatro princípios, ou seja, entre a pele, a alimentação, os membros e a mente, fundamentais para uma vida saudável.

Falaremos agora sobre a relação existente entre o pé e a pele, e, de modo especial, sobre a função principal da pele, o suor, relacionada com o pé.

O homem, de uma postura original, isto é, caminhando sobre os quatro membros, passou a andar com dois pés, em posição ereta. Isso fez com que todo o peso do corpo se concentrasse sobre o tornozelo e o calcanhar, forçando-os, excessivamente, e causando subluxação. Essa subluxação provoca infecção no local. Para combater a infecção, o cérebro ordena o aumento da temperatura do corpo. Muitas vezes esse aumento não é perceptível. A pessoa começa a ter mais sensibilidade ao frio e, a partir de então, começa a vestir-se com roupas mais quentes. Vestindo-se dessa forma, prejudica a função de transpiração da pele, causando excesso de transpiração. Já se sabe que, na transpiração, perde-se alem de água, sais e vitamina C.

A falta de água no organismo eleva a quantidade de guanidina sendo ela uma das causas provocadoras de ulcera e uremia. A falta de sais pode ocasionar neurite nas pernas e nos pés, e a falta de vitamina C pode causa hemorragia interna.

No começo, causa sangramento nas gengivas e defeitos na 3ª e 4ª vértebras cervicais, trazendo o mau funcionamento das glândulas paratireóides e, em conseqüência, espasmos, endurecimentos e contrações.

Como se pode observar, os defeitos nos pés criam o hábito de se vestir roupas pesadas, as quais provocam a transpiração. Se esses pequenos fatos forem negligenciados podem evoluir para doenças graves. O corpo considerado sob o ponto de vista da doença, possui caráter de circulo vicioso.

Existe uma relação muito intima entre mão e cérebro. Pessoa habilidosa com os dedos é inteligente. O homem, a partir do momento em que ficou ereto, livrou as mãos do trabalho da locomoção dando-lhes liberdade de movimento. Devido a isso o cérebro desenvolveu-se ainda mais devido a estimulação de novas atividades manuais.

Mas, a posição ereta do homem não trouxe apenas vantagens. Devido a posição ereta, os pés ficaram com todo o peso do corpo, antes dividido com os membros superiores.”

Este texto foi retirado do livro: ABC da Saúde II – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1988

Este artigo é um pouco extenso e achei melhor dividi-lo em partes. Essa foi a primeira parte, em breve estarei postando a 2ª parte deste artigo ok?

Um abraço a todos e obrigada pela visita! Ajude a divulgar a Unibiótica!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

O banho de ar e seus milagres

Posted on outubro 20, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

Aprendendo um pouco mais sobre os benefícios do banho de ar

“O banho de ar tem efeitos surpreendentes na recuperação da saúde. Dependendo da pessoa, no inicio da sua prática, surgem algumas reações como coceira, erupções, mudança de cor da pele, etc. Contudo, isso não é motivo para preocupações. Às vezes, ocorrem febres leves ou outras reações brandas. Porém, deve-se continuar a faze-los, pois, são sinais de recuperação da saúde.

Houve um caso de uma mulher que sofria de resfriado crônico e, ao praticar banho de ar, pela manhã, piorou muito da tosse. Pensou em parar, mas por ter começado, resolveu ir até o fim. A tosse, porém, se agravava dia a dia. “Vou fazer só hoje, vou fazer só hoje”, dizia ela. E, assim continuou por uma semana. A tosse parou e o resfriado que a incomodava durante anos, também desapareceu.

Os efeitos variam de acordo com a pessoa. Há casos em que o efeito se torna nítido em apenas uma semana de prática. Há outros em que o efeito leva quase um mês para surgir.

Em casos de febre, muitas vezes, ao invés dela baixar, aumenta. Porém, continuando com os banhos de ar, ela desaparece. Se a febre for leve, a pessoa sente, mas o termômetro não a registra. Com certeza, tem defeito no pé. É importante que ela retifique os defeitos, através dos exercícios do vaso capilar ou outros.

Há casos em que a diarréia ocorre ao praticar banho de ar. Também, podem ocorrer erupções cutâneas. São reações que geralmente, acompanham a recuperação da saúde. Seja qual for a manifestação, não se deve deixar de praticar o banho de ar.”

Recordações – Dr. Jong Suk Yum

“Quando eu trabalhava no exército, no hospital das forças armadas, certo dia, um sargento procurou-me, dizendo-me que um soldado havia morrido. O sargento era dez anos mais velho do que eu. Era um administrador da medicina natural.

Sargento muito experiente, gostava de escutar minhas idéias. Ele me procurou, ao invés de comunicar o fato a um oficial, ou médico responsável.

Segundo ele, o soldado parara de respirar e não havia pulso. Naquela altura dos acontecimentos, o médico responsável já havia confirmado a morte do soldado. Ele ordenara ao sargento que tapasse as cavidades do morto com algodão. Ao executar a ordem, o sargento percebeu que o tórax do morto ainda estava quente. Por isso, veio correndo me relatar o fato.

Disse-lhe:

– Faça banhos de ar até que a região do coração fique totalmente fria.

Eu continuei o meu trabalho, dando assistência a outros pacientes. Já havia esquecido do fato quando, 10 horas depois do ocorrido, o sargento me procurou novamente. Disse-me, que então, que a região do tórax ainda estava quente.

– O que você quer que eu faça? Continue fazendo banhos de ar, eu disse.

Ele permaneceu na minha sala, querendo falar algo mais. Depois de alguns instantes voltou-se para mim e comentou:

– O oficial médico, disse-me que suas orientações são besteira. Disse também que o senhor é meio louco, e que o responsável pelo setor era ele.

O sargento queria que eu falasse com o oficial para pedir-lhe que esperasse mais tempo antes de levar o corpo do soldado.

– Não adianta, disse-lhe eu. Ele não me ouvirá. Faça o que você achar mais conveniente. Continue, porém, fazendo-lhe banhos de ar.

Ele suspirou e saiu. No dia seguinte, veio a mim, mais uma vez, dizendo que quase toda a região do tórax estava quente e que o rosto do soldado ainda estava claro. Disse-me que, que não era normal o que estava acontecendo. Fiquei surpreso com suas palavras. Fomos juntos ver o soldado. Ao invés de morto, parecia estar dormindo.

Disse, então ao sargento:

– Você o salvou. Ele vai sobreviver. Continue com os banhos de ar. Não dê ouvidos ao médico responsável. Faça apenas o que eu disser.

Cinco horas mais tarde procurou-me muito feliz, dizendo-me que o soldado estava respirando, fracamente, e mexendo os lábios.

– Não há necessidade de medir a pressão. Continue, apenas, com os banhos de ar. Se estiver cansado, peça ajuda a alguém, mas não pare com os banhos de ar. Use água quente para aquecer os pés.

Mais duas horas se passaram, quando fiquei sabendo que o soldado começara a transpirar levemente. A pressão e a pulsação, também, haviam aumentado. O referido soldado acordou depois de 48 horas.

Assim, ele sobreviveu. Este exemplo não é tão raro quanto parece ser. É por causa disso e de outros fatos que, o código civil, na maioria dos paises, permite que o enterro seja feito somente 24 horas após a morte. Há médicos que defendem um período de 48 horas.

Se qualquer forma, o banho de ar é eficiente em qualquer doença. Principalmente, nos casos de asfixia ou coma, seu efeito é surpreendente.”

Texto retirado do livro: ABC da Saúde I – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1988.

Realmente esse banho de ar realiza verdadeiros “milagres”, devido sua ação estimuladora dos glomos. No blog já esta disponível um arquivo para download com o passo a passo do banho de ar. É um arquivo de áudio feito para que todos possam marcar o tempo de realização de cada movimento.

Link para o artigo do banho de ar e o respectivo arquivo de áudio da aula do banho de ar.

Obrigada a todos pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 6 so far )

Links quebrados

Posted on outubro 16, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

Olá pessoal tudo bem?

Hoje passei dando uma olhada nos links, para alguns arquivos do site, e vi que um deles estava “quebrado”. Mas já resolvi o problema e as aulas de Unibiótica em MP3 e o banho de ar podem ser baixados normalmente.

Se notarem algum link que não esteja funcionando normalmente, por favor, nos avise para que possamos resolver o problema rapidamente.

Gostaria de pedir novamente: se você conhece algum grupo de Unibiótica entre em contato comigo para que eu possa estar divulgando no site. E se você gostaria de dividir a experiência que teve com a Unibiótica, entre em contato também! Precisamos contar a todos os benefícios dessa maravilhosa ciência. Por isso a divulgação é essencial!

Email para contato:  macmilam@yahoo.com.br

Muito obrigada a todos pela visita e tenham um ótimo dia!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 5 so far )

Todos podem praticar a Unibiótica

Posted on setembro 30, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

E aí pessoal, tudo bem?

Gostaria de esclarecer um ponto da prática da Unibiótica. Quando o Dr. Jong Suk Yum criou a Unibiótica ele teve o propósito de ajudar as pessoas. Através dos exercícios e de sua nutrição, ele ajudou e vem ajudando muitas pessoas a se curarem de diversos tipos de males. Não só curando, mas também, fazendo a manutenção da saúde do corpo e da mente.

Por isso a prática dos exercícios da Unibiótica é grátis. Não existe uma mensalidade que é cobrada para se freqüentar as aulas. Os grupos que coordenam as aulas de Unibiótica, são todos voluntários e fazem com o objetivo de ajudar outras pessoas. Por isso não existe uma mensalidade, como existe em uma academia de ginástica. Em alguns grupos é totalmente grátis e em outros, existe apenas uma pequena contribuição, geralmente voluntária, para ajudar a custear o aluguel do espaço onde são praticadas as aulas.

Conheço um grupo de Unibiótica que cobra 5 reais por pessoa, para ajudar com o aluguel do espaço e para pagar uma pessoa para limpar o local de vez em quando. Por que talvez sem esse aluguel, não seria possível praticar a Unibiótica, pois muitas vezes não encontramos lugares para abrigar muitas pessoas durante as aulas. Às vezes também, são organizados encontros para confraternização entre os praticantes da Unibiotica. Mas tudo é voluntário.

Por isso, se você acha que praticar a Unibiótica custa caro, saiba que isso não é verdade. A pratica da Unibiótica é inteiramente grátis ou quando existe algum tipo de contribuição, ela é totalmente voluntária e voltada para ajudas de custo para manter o local da pratica, e nunca para pagar o professor ou outras pessoas.

Unibiótica é saúde! Se você ainda não conhece a prática dessa ciência maravilhosa, procure um grupo de Unibiótica perto de você e comece já! Tenho certeza que ninguém vai se arrepender.

Gostaria ainda de pedir, que se alguém tem um grupo de Unibiótica, que entre em contato comigo para que eu possa estar divulgando o grupo no site. Muitas pessoas procuram grupos perto delas, mas não encontram porque a divulgação ainda é pouco expressiva. Então, se você tiver um grupo, ou fizer parte de um, ajude a divulgar! Basta fornecer os seguintes dados: Nome do coordenador ou coordenadora, endereço e/ou telefone de contato, bairro, cidade e estado. As informações podem ser mandadas para o meu email: macmilam@yahoo.com.br . A divulgação é totalmente gratuita.

Obrigada a todos!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

O glomo

Posted on setembro 28, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

“O glomo é considerado o segundo fator mais importante da Teoria da Unibiótica ( o primeiro é a circulação sanguínea ). O glomo é um aglomerado de minúsculas veias e artérias. É um desvio pelo qual o sangue passa da artéria, diretamente para a veia, sem passar antes pelos capilares. O glomo existem em vários órgãos e na pele, especialmente, nas dermes das extremidades. Encontra-se abundantemente, na unha, nas pontas dos dedos e na superfície palmar das falanges 1,2 e 3. O glomo não aparece durante a vida intra-uterina. Ele se forma logo após o nascimento e se desenvolve com o passar dos anos, até a idade de quarenta anos, quando então começa a diminuir, sofrendo atrofia, selenose e desgaste conforme o avanço da senilidade.

Descoberta do glomo

O glomo foi descoberto, pela primeira vez, em 1707, por Lealis-Lealis, anatomista francês, num “lócus” anatômico entre a artéria e a veia espermática. Desde àquela época, excelentes e vários autores descreveram o glomo em vários órgãos e na pele. Depois de Lealis-Lealis, Winslow ( 1719 ) encontrou glomos em outras duas regiões: entre a artéria do esôfago e a veia coronária e entre a artéria bronquial esquerda e a veia ázida. Foram achados glomos também, nas mãos e nos pés.

Trabalho do glomo

O Dr. Jong Suk Yum afirma que o glomo, juntamente com os capilares, a arteríola, a vênula, o coração e o vaso linfático, formam todo o mecanismo da circulação sanguínea. Os capilares funcionam como força motriz principal; o glomo, como controlador de emergências; a veia e o lado direito do coração, como tanque; e a artéria, como bomba de sucção.

A corrente normal e constante do sangue depende das atividades coordenadas daqueles componentes. Se qualquer um deles falhar a circulação sanguínea desordena-se. Particularmente, existe uma relação estreita entre glomos e capilares. Quando a pele se expõe ao frio ou a um susto, empalidece. Isso ocorre porque os capilares daquela região contraem-se, subitamente, e interrompem a corrente sanguínea que iria fluir para aquele local. Mas o glomo, para agir como controlador de emergências, faz com que a corrente sanguínea, repentinamente interrompida, se choque, diretamente, contra a parede delicada do ferimento ou sangramento. Em tal emergência, o glomo age, instantaneamente, desviando a corrente sanguínea interrompida, diretamente, da artéria para a veia, protegendo os capilares para não serem destruídos. Serve-lhes de válvula de escape quando estão em perigo. Sendo essencial o exercício do vaso capilar para a estimulação e manuntenção saudável dos glomos.”

Informações retiradas do livro: ABC da Saúde I – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora: Convite do Brasil – 1988.

Obrigada a todos pela visita! Ajudem a divulgar a Unibiótica!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Terapia dos vegetais crus

Posted on setembro 4, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

A terapia de vegetais crus elimina as fezes ressequidas, restaura a qualidade do corpo, restaura e ativa a função dos glomos, purifica as linfas, revigora os tecidos e estimula a divisão celular, estímulo este, fundamental para o tratamento de qualquer tipo de doença.

Método

Os alimentos usados nessa terapia são apenas vegetais frescos e crus, como diz o próprio nome. Nela NÃO estão incluídos a carne, o ovo, o leite, o açúcar ou frutas. Por via de regra não se usa tempero, mas, ocorrendo excesso de suor, pode-se usar o sal. As frutas podem ser consumidas em pequena quantidade, misturadas com os vegetais, servindo, então, como temperos.

Consideram-se frutas: o tomate, o chuchu, o pepino, etc. Não se deve usar raízes tais como: a batata, o cará ou inhame, etc. Todas as outras verduras, podem ser usadas, exceto as mencionadas acima. Poder-se-á usar também, como tempero ou estimulante do apetite, a cebolinha, a cebola, o alho, a folha de hortelã, etc. As folhas tem vitalidade ao sol e, as raízes a riqueza do solo. Portanto, deve ser consumidas sempre juntas, meio a meio. Não se deve consumir folhas amareladas ou murchas. As raízes não devem ser descascadas. Lavar bem os alimentos antes de consumi-los. As folhas devem ser cortadas e as raízes raladas. Assim que preparadas, deverão ser consumidas logo, evitando assim, a perda de vitaminas para o ar atmosférico.

O tempo de terapia para sadios é de 2 ou 3 semanas e para doentes, 45 dias. Para os que não estão acostumados a comer verduras, poderão surgir sintomas tais como, emagrecimento e diarréia. Não deve causar preocupação. Isso é devido à falta de hábito do organismo em receber verduras. Logo que o organismo se adaptar aos novos alimentos, o peso perdido será recuperado e a diarréia passará.

Observações Gerais

– Para entrar numa dieta de vegetais crus, diminuir gradativamente os alimentos cozidos, e aumentar na mesma proporção os alimentos crus, durante uma semana. Passado esse período de adaptação, comer só vegetais crus.

– Tomar cuidado após a dieta, pois ter-se-á muito apetite. Controle os excessos.

– Durante a dieta, ventilar bem o ambiente. Fazer banho de ar e alternado para estimular a função do aparelho digestivo.

– Durante a dieta, há casos em que ocorre prisão de ventre. É sinal de que está faltando água no organismo. Bebendo-se mais água, o problema estará resolvido.

Texto tirado do livro: ABC da Saúde III – Não há aposentadoria na vida – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1987.

Parece que não é nada fácil seguir essa dieta de desintoxicação mas com certeza vale a pena tentar!

Um abraço a todos!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Seis regras práticas da Unibiótica

Posted on agosto 25, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

“As seis regras práticas da Unibiótica foram criadas para manter o bom funcionamento dos 4 elementos mais importantes da saúde ( pele, membros, mente e alimentação ) e para evitar ou corrigir as 4 principais causas de doenças ( distúrbio da coluna vertebral, má circulação sanguínea, desequilibrio ácido/base e distúrbio do sistema nervoso ). São facilmente praticadas, isto é, não exigem grande esforço.

1ª Regra: Uso de cama plana e dura

Uniformiza a circulação e corrige a coluna. Susbtituir o colchão mole por uma cama dura, firme, de madeira. Na cama reta e homogênea, o peso do corpo de distribui por igual, em relação à gravidade, o que facilita o relaxamento, propiciando a recuperação do cansaço e um sono mais reparador. Dormindo-se em colchão mole, provoca-se subluxação das vértebras, podendo causar hemiplegia.

A subluxação das vértebras, causada por atividades diárias que forçam a coluna, poderá ser corrigida, durante a noite, pelo uso da cama dura. A acumpuntura, a quiroprática e as massagens tratam, temporariamente, apenas o local atingido, não tendo meios de prevenção. Entretanto a prática de dormir em cama dura, age como uma massagem prolongada e continuada durante horas, sem perda de tempo e dinheiro, tendo como efeito, a cura e a prevenção.

A cama e o travesseiro duros estimulam a atividade da pele, evitando distúrbios do fígado. Atuam na eliminação das varizes, reativando a contração das veias, estimulando, em conseqüência, o retorno da circulação sanguínea para o coração.

A ausência de varizes é um indício seguro de saúde. A cama dura, assim como os banhos alternados e o exercício do vaso capilar, levam o organismo à eliminação das varizes. Por outro lado, a cama dura estimula as funções renais, promove a eliminação dos materiais estéreis acumulados, aumenta a força extensível dos nervos centrípedos e evita o afrouxamento ou a paralisação do tudo intestinal. Com o relaxamento dos músculos dorme-se tranqüilamente e, pelo estímulo dos nervos, se tem o prazer, no dia seguinte, de uma evacuação fácil, iniciando-se o dia com satisfação.

Dormir em cama dura, também recupera problemas dermatológicos e, na idade avançada, previne a tendência ao encurvamento da coluna. Um detalhe importante e curioso: deve-se acostumar a deixar uma parte do ventre descoberta. Encobertos dia e noite, os intestinos tornam-se preguiçosos, ocasionando a gastroptose.

No começo, antes de dormir, deve-se retificar a coluna com o exercício do abdômen ( conhecido também como o exercício do peixinho ). Deve-se tentar dormir numa postura correta. As pessoas que dormem de lado têm tendência a terem problemas nos rins.

2ª Regra: Uso do travesseiro de madeira

O pescoço é formado por sete vértebras cervicais. Dessas vértebras partem nervos que vão à região do rosto, nariz, ouvidos, dentes, olhos, pescoço, pulmão e braços. Por esse motivo, havendo problemas nas vértebras, esses órgãos serão todos atingidos.

O dentista alemão, David Palmer, criador da quiropratica, comprovou pelo Raio X que, quando há problemas nos dentes, a 3ª e a 4ª vértebras da coluna cervical estão subluxadas. A Unibiótica criou o travesseiro de madeira, em forma de meia-lua, como meio de retificar e eliminar defeitos próprios do hábito de dormir deitado. O travesseiro de madeira serve para retificar e eliminar a subluxação.

O travesseiro deve ser usado na região da nuca, enquanto se esta deitado. Aquilo que, durante o dia, foi forçado a se deslocar pela postura errônea, durante a noite será forçado a se retificar. A maioria das pessoas dorme com travesseiro alto, sob a cabeça, acentuando a curvatura da coluna cervical e, consequentemente, causando subluxação.

3ª Regra: Exercício do Abdômen – ou do Peixinho

Deitado em cama dura, ou no chão, colocar as mãos espalmadas na região cervical, sob o pescoço. Com os calcanhares firmes no chão, erguer os quadris. Em seguida, com o abdômen erguido, movimentar os quadris, lateralmente, da esquerda para a direita. Manter os pés retos, para cima, forçando as pernas ficarem esticadas o máximo possível. Praticar esse exercício, diariamente, durante um ou dois minutos, pela manha e à noite. Qualquer dor no ventre desaparecerá com esse exercício.

Variação

Outra pessoa poderá ajudá-la, segurado-lhe os pés e balançando-lhe as pernas de um lado para outro. Nas aulas dos grupos de Unibiótica, esse exercício é chamado de Peixinho Amigo.

Essa prática recoloca as vértebras no lugar, corrigindo toda a coluna. Elimina a paralisia dos nervos periféricos, normalizando a pressão sanguínea e estimulando o nervo simpático. Os intestinos também são beneficiados através da estimulação do peristaltismo. Em geral também previne-se e cura-se a prostatite no homem e distúrbios ginecológicos na mulher.

4ª Regra: Exercício do Vaso Capilar

Para a Unibiótica, a força motriz da circulação não esta no coração, mas nos vasos capilares e nos glomos. Estão localizados nos membros 60% do total do numero de vasos capilares de nosso corpo. Esse exercício estimula a ação de 3,8 bilhões de vasos capilares. Estimula também, as veias e as artérias, os vãos linfáticos e as funções dos glomos, evitando assim o envelhecimento dos membros e recuperando-os.

Para a prática do exercício do vaso capilar, é necessário deitar em cama dura ou no chão, com o travesseiro de madeira sob o pescoço. Levantar os braços e as pernas, paralelamente num ângulo de 90° graus. A planta dos pés deve estar em posição horizontal. É uma posição exatamente contraria àquela dos quadrúpedes.

Tremer os quarto membros, vigorosamente, e, ao mesmo tempo, prestar atenção, sobretudo, à vibração das pernas. Os braços, também, devem vibrar naturalmente. A duração é de um, dois ou mais minutos. Esse exercício faz a corrente sanguínea circular, uniformemente, pela contração dos vasos capilares e pela dilatação dos glomos, normalizando, dessa forma, a circulação. Protege a pele da invasão de vírus e bactérias, bem como estimula o funcionamento equilibrado do organismo.

Os médicos costumam recomendar aos pacientes que pratiquem exercícios mas, na verdade, o paciente, geralmente, não tem condições para faze-lo.

Distúrbios circulatórios, varizes, celulite, qualquer tipo de inchação, pressão alta ou baixa, problemas de pulsação, frieza nas mãos e nos pés, ruborizarão ou tez pálida, enfim, todas as doenças de circulação podem ser prevenidas e curadas através desse exercício. Isso ocorre porque sua prática estimula a circulação e irriga todos os órgãos. Através dele, todo tipo de coagulação e entupimento de vasos é eliminado.

Após feito o exercício do vaso capilar, se for feito o exercício do leque e o exercício do acelerador obter-se-ão maiores efeitos.

Exercício do Leque

Através desse exercício, pode-se curar a doença de Morton. Na posição deitada, levantar as duas pernas. Segurar um dos tornozelos com as mãos e sacudir o pé durante 1 ou 2 Inverter o exercício e fazer no outro tornozelo a cada 3 dias.

Exercício do Acelerador

Através desse exercício, pode-se curar a doença de Soarell. Esse exercício é parecido com o anterior. Segurar o outro tornozelo e movimentar o pé imitando o movimento de acelerar um carro. A duração é de 1 a 2 minutos. Inverter o exercício e fazer no outro tornozelo a cada 3 dias.

5ª Regra: Exercício do Sapinho

Deitar, colocando o travesseiro de madeira sob o pescoço. Juntar as palmas das mãos sobre o peito, simetricamente, em forma de oração. Em seguida, levantar e abaixar as mãos juntas, perpendicularmente ao peito. Após juntas as plantas dos pés, simetricamente, dedo contra dedo, e levar, juntos, o máximo possível das nádegas. Fazer, simultaneamente, os movimentos de esticar, com vigor, as pernas para baixo e, os braços ( mãos juntas ) para cima da cabeça, tocando o chão. Fazer esse movimento durante mais ou menos 1 minuto. Terminado o movimento rítmico, manter as mãos e os pés juntos, como na posição inicial, permanecendo assim, durante cinco ou dez minutos ( nas aulas, é feita a meditação nesse momento ). Forçar ao máximo o ângulo de abertura das pernas, até que os joelhos quase toquem o chão.

A postura desse exercício deve ser absolutamente correta.

Os efeitos produzidos são de várias ordens: pelo movimento simultâneo de esticar e encolher os membros, os ligamentos internos da coluna são flexibilizados verticalmente; uma perna, mais curta do que a outra, ficará nivelada; os gases intestinais são expelidos através da pressão provocada nos intestinos. Esse exercício favorece, pois, o equilíbrio de temperatura entre os dois lados do corpo, atuando beneficamente, sobre qualquer distúrbio feminino como: corrimento, menstruação anormal, deslocamento, hipoplasia e prolapso do útero, mioma, fibroma e cisto no ovário.

6ª Regra: Exercício do João-Teimoso

Sentar no chão, sobre os pés, deixando entre as pernas uma distancia de 3 a 4 punhos fechados. Colocar o dedão do pé esquerdo sobre a planta do pé direito. Apoiar as mãos sobre os joelhos, mantendo a coluna ereta, como um pilar. Inclinar o tronco a 40° de um lado para o outro. Antes de iniciar esse movimento de pendulo, ficamos eretos, encolhendo e soltando o abdômen. Contraindo e relaxando. Após uns minutos, iniciar o movimento de pendulo mas continuando com o movimento de contrair e relaxar a barriga. O corpo durante esse movimento se encontrará em 3 posições distintas: meio, esquerda, meio e direita, e continua-se o ciclo. Sem paradas, o movimento é continuo e sem paradas ou arranques. Quando o corpo estiver no meio se encolhe a barriga, quando se encontra em um dos lados, esquerda ou direita, relaxamos o abdômen. Geralmente fazemos esse movimento durante 10 minutos.

A prática desse exercício é, inicialmente, um pouco difícil de ser executada, mas, feita diante de um espelho, e após um tempo o exercício vai se tornando cada vez mais fácil de ser executado.

Através desse movimento retificamos a coluna e proporcionamos a eliminação de fezes ressequidas nos intestinos, prevenindo várias doenças e distúrbios. A oscilação das costas favorece o irrigamento das veias entupidas da cabeça, estimulando o cérebro e agilizando a produção intelectual. Muitos problemas dos olhos ou do nariz são curados por esse exercício. Uma experiência positiva ocorreu com o criador da Unibiótica, que curou-se da sinusite, pela pratica desse exercício.

O seis exercícios propostos, associados à alimentação à base de verduras cruas, bem como aos banhos alternados e de ar constituem os fundamentos práticos da Unibiótica.”

Texto retirado do livro: ABC da Saúde I – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1988

Os grupos que fazem as aulas de unibiótica, costumam fazer outros exercícios alem dos descritos acima. Os descritos acima são a base da Unibiótica.

Gostaria de salientar que as pessoas que não conhecem a unibiótica, não tentem fazer esses exercícios sozinhas, antes de terem visto pessoalmente como se deve praticá-los. Caso você tenha interesse em fazer os exercícios para comprovar os inúmeros benefícios que eles proporcionam, recomendo que você procure um grupo de unibiótica mais próximo de você. Faça uma aula, e aprenda a execução correta dos exercícios. Por mais que o texto tenha sido claro na explicação do movimento, não se compara a demonstração dos mesmos ao vivo.

A execução errada desses movimentos ao invés de melhorar a sua saúde pode gerar problemas de coluna e outros decorrentes da execução errada dos exercícios. Por isso, antes de praticar sozinho, procure um coordenador de algum grupo de unibiótica mais perto de você e faça uma aula.

Um abraço a todos!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 29 so far )


« Entradas Anteriores

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...