Archive for novembro \28\UTC 2008

Bursite – segundo a Unibiótica

Posted on novembro 28, 2008. Filed under: Males e Tratamentos |

bursite

Doença existente desde o tempo em que conseguimos andar com os dois pés

Esta doença é conhecida como doença dos quarentões ou cinquentões, pois aparece geralmente nesta faixa de idade. Diferentemente dos animais, temos dois braços que ficam livres e sobrecarregados de trabalho.

Os músculos dos ombros tem má circulação e se acham sujeitos a distensão, devido a grandes esforços e trabalhos que efetuam. Quando temos problemas no estomago ou no intestino, por causa do excesso de comida ou trabalho, aparecem em nossos ombros alguns sinais indicadores, devido ao acúmulo de substâncias nocivas ou devido ao cansaço. No caso de problemas do coração e do estômago, aparecem sintomas no ombro esquerdo. Nos distúrbios do fígado, surgem no ombro direito. Na hipótese de pressão alta, os sintomas estarão em ambos os ombros.

No homem moderno, com tensões psicológicas, excesso de proteína animal e falta de exercício, a bursite ( dor que geralmente se manifesta nos ombros e pescoço – mas que também pode aparecer em outras partes do corpo como cotovelo e joelho ) pode ocasionar problemas intestinais, no fígado, no estomago, nos órgãos internos.

Algumas causas diretas das dores nos ombros:

1 – Sobrecarga num ombro só, nos trabalhos e nos esportes.

2 – Acúmulo de alimentos nocivos provenientes de cansaço mental.

3 – Sintomas de problemas nos órgãos internos.

No caso dos itens 2 e 2, devemos evitar acúmulos, relaxando os ombros. Quando estes são deixados sem tratamento, as dores poderão estender-se até a cabeça, causando cabeça pesada, cansaço nos olhos, falta de sono, vômito e até doenças mais graves.

Nos problemas dos órgãos internos, há causa diferente da relativa às dos itens 1 e 2.

O tratamento deve atacar a origem. Por exemplo: os problemas de olhos, nariz, ouvido e dente são de natureza metabólica. Anemia, diabete, pressão alta, gota, enfermidade do estomago, carência de vitaminas, todas são capazes de produzir dores nos ombros, com fadiga no corpo inteiro. As dores nos ombros, determinadas pela velhice das células ou tecidos, como músculos, ossos, ligamentos, etc., são difíceis de curar.

Apesar do grande número de causas, o único meio de eliminar a bursite é normalizar a circulação do sangue e o equilíbrio do metabolismo do corpo, pelo método negativo. O tratamento negativo é de impacto, com tipo de ventosas, de minha invenção, e com agulhas. Ele difere dos métodos tradicionais. Para tratamentos de doença crônica, é necessária alimentação adequada para curar.

Dieta para tratar dores nos ombros ( bursite ):

Evite o açúcar branco e a carne. Coma algas marinhas. Elas contêm iodo que estimula o metabolismo e limpa o sangue. Faça ingestão de alho, pois regulariza as funções dos intestinos, melhorando a absorção de vitamina B, que contribui para eliminar as dores dos ombros.

Os que sofrem de prisão de ventre, por excesso de carne, devem comer muita verdura crua. Se não o fizerem, poderão ficar diabéticos, ter doenças do coração ou arteriosclerose.”

Texto retirado do livro: Doenças – causas e tratamentos – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Imprensa Oficial do Ceará – 1982.

Se alguém quiser sugerir um tema ou algo que gostaria de saber da Unibiótica faça um comentário na página ( só clicar em MAKE A COMMENT – no fim de cada artigo – e escrever o comentário ). Caso encontre algo referente nos livros eu posto ok?

Em breve estarei escrevendo sobre o METODO NEGATIVO que foi citado neste artigo, bem como em outros. Estou reunindo primeiro, mais algumas informações deste método mas esta um pouco difícil, mas assim que tiver informações mais consistentes estarei postando ok?

A faculdade deu uma folga e em breve estarei de férias, por isso pretendo atualizar o site mais vezes durante a semana e não somente uma vez como estava fazendo. Mas tudo na medida do possível certo?

Abraços e obrigada a todos pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 6 so far )

Artrose – A doença do Imperador

Posted on novembro 26, 2008. Filed under: Males e Tratamentos |

artrose

Tem como causa a alimentação luxuosa.

“Quanto mais alto o modelo de refeição, mais aumenta esta “doença cultural”, que não existia antigamente, na grande maioria dos povos. Por isso, diz-se que a gota é doença de imperador, por ser comum entre os antigos soberanos.

Gota é enfermidade adquirida, facilmente, por quem vive com muito conforto e com alimentação luxuosa, sendo inexistente entre os modestos, que vivem com uma alimentação comedida e simples. Há trinta anos, a gota era doença rara; mas, com a evolução econômica, aumentou bastante o número de suas vitimas, tornando-se comparável à hipertensão e à arteriosclerose. Na vida moderna, com a locomoção feita em carros, a respiração de ar poluído, a agitação e as tensões aumentam em muito as causas que provocam a gota.

Durante a Segunda Guerra Mundial, na Alemanha, França e Dinamarca, afetadas economicamente, diminuiu-se o teor calórico da alimentação, e, dessa maneira, foi reduzida também a taxa de incidência de gota.

Há possibilidade de se ter esta doença quando nos alimentamos de carne, açúcar, arroz, trigo branco e bebidas alcoólicas. A gota manifesta-se nas partes articulares do corpo, sendo mais comum nos dedos polegares e nos ombros, caracterizando-se por dores. E. após 2 ou 3, inchações e temperaturas elevada nos locais.

Durante o espasmo da dor, ocorrido quase espontaneamente, por um movimento pequeno, como o toque no lugar afetado, ou quando se abre uma porta, ela é tão grande que o paciente sente vontade de morrer, apesar da dor ser passageira. Em fração de minutos se esvai.

Rápida como chega, a dor da gota se vai, repetidas vezes. E caso não haja mudança radical na alimentação do paciente e tratamento adequado, a doença se torna crônica. Tem semelhança com o reumatismo. A repetição da dor causa o endurecimento das artérias, infarto, problemas renais e deformação articular.

O ácido úrico acumulado nas articulações dificulta as suas atividades. Protegendo o organismo, ele desencadeia o fenômeno da inflamação, e a dor articular insuportável aparece nessa ocasião. A repetição da inflamação aumenta o ácido láctico. A proximidade de articulação de acidifica, fabricando o cristal de ácido úrico propriamente dito, que causa a transformação articular, deformando e paralisando as articulações. Se o ácido úrico aumentar por causa de alimentação à base de carne, causará inflamação renal ou cálculo renal. Sessenta a setenta por cento dos gordos padecem de gota, devido ao excesso de proteína animal causador do problema de metabolismo.

O tratamento geral da Medicina considera o ácido úrico a maior causa dessa doença. Recomenda remédios que impedem o seu aparecimento e desenvolvimento. Prescreve antibióticos e analgésicos e mais proteína animal, para conter o aumento de peso. Mas tal método não pode curar esta doença. A gota é parecida com reumatismo, e se torna difícil distingui-los. Na hora do espasmo, a dor é mais forte na gota que no reumatismo. Este surge em qualquer lugar de articulação. A gota se origina nas pernas.

Para curar de vez este mal devemos parar a alimentação com base em proteína animal e aplicar o tratamento negativo durante três meses, para tornar-se possível a cura de doenças tidas como incuráveis. As pessoas não acreditam que tratamentos simples funcionam, mas se seguirem à risca, comprovarão sua eficiência.”

Texto retirado do livro: Doenças: causas e tratamentos – Autor: Jong Suk Yum – Imprensa Oficial do Ceará – 1982.

Se alguém quiser sugerir um tema ou algo que gostaria de saber da Unibiótica faça um comentário na página ( só clicar em MAKE A COMMENT – no fim de cada página – e escrever o comentário ). Caso encontre algo referente nos livros eu posto ok?

Obrigado a todos pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( 7 so far )

Depoimento – Andréia

Posted on novembro 22, 2008. Filed under: Depoimentos |

Tudo começou quando com 14 anos (1990) após uma consulta médica tive o diagnóstico de Escoliose Drosal e Lombar, a coluna fazia um S certinho. Veio o desespero pois uma cirurgia seria muito arriscado e problemas futuros poderiam surgir e aos poucos me deformar, não sentia dor mas, já percebia a postura incorreta.

A Unibiótica administrou um curso em minha cidade e deixou algumas sementes plantadas. Com o meu estado inspirava cuidados além da fisioterapia diária busquei o tratamento alternativo. Uma amiga me indicou a Unibiótica. Pesquisando aonde a equipe estaria fiquei sabendo de um grupo se reuniria em Araraquara mais precisamente na Clinica de Emaús, e por minha sorte elas seriam ministradas pelo Dr. Yun, acredita? O próprio Dr. Yun, um privilégio sem sombra de dúvidas.

O impacto foi forte, senti a mudança no primeiro dia, jejum matinal, água e exercícios, o almoço era sem dúvidas o mais difícil, mal conseguia comer, imaginem uma moça de 14 anos? Come muito mal. Não estava sozinha, estava com a minha mãe pois, sem o apoio da família dificilmente conseguiria.

Lá no curso aprendi exercícios a importância das cores, da água, do jejum, do melhorando tudo, melhorando tudos, fazíamos os exercícios num som sonoro e marcante, rir rir rir rir rir rir rir rir rir, era contagiante. Palestras mostravam o grande mal que era a carne animal, juro que até hoje a carne não me desce bem. Esse mesmo mal se estendia ao açúcar e ao leite.

A partir dessa época joguei fora todas as minhas vacinas importadas para alergia pois, descobri que o meu mal era o leite, e você acredita que nunca mais fiz uso de remédios como cordicóides e outros medicamentos. Presenciei um rapaz que chegou de cadeira de rodas e após 1 hora de vasos capilares voltou a andar não era milagre, era sem sombra de dúvida a comprovação que todo o mal que existe e única e exclusivamente culpa do próprio homem, o exercício devolveu ao rapaz a circulação necessária, mas foi emocionante.

Voltei pra casa cheia de idéias e anotações para uma vida longa e saudável, mas nessa época era muito difícil comprar um leite de soja, arroz integral, tudo ainda era muito tabu, e a cidade pequena, sempre me deslocava para Ribeirão preto e adquirir os produtos naturais. Mas nada foi fácil, a comida la em casa mudou geral, alguns não gostaram , dormir com travesseiro de madeira não consegui olha que tentei mas juro que não era fácil. Mas os exercícios eu conseguia fazer bem, como os banhos de ar e alternativo.

Depois de 1 ano fiz uma ultrassom para ver como estava minha coluna e para minha surpresa eu não tinha NADA, uma coluna perfeita. Com o tempo e o passar dos 17 anos fui ficando sem um apoio, tudo que foi aprendido não foi esquecido mas, acabei me entregando e abandonando mas com o nascimento do meu filho procurei fazer tudo que aprendi, ele tem uma alimentação saudável e, está com 2 anos e nunca tomou sequer um remédio de verme.

Agradeço a Unibiótica e a Deus por esta oportunidade.

Abraço a todos

Andréia.

Email para contato: andreia@valedoverdao.com.br

Depoimento cedido gentilmente pela a internauta Andréia!

Se alguém tiver o interesse em publicar um depoimento pessoal, por favor entre em contato comigo, pois esses depoimentos são muito importantes para divulgar os benefícios da Unibiótica.

Muito obrigada a todos pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

A causa das doenças está no pé – parte II

Posted on novembro 19, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

pe2

Desculpem a demora para atualizar o blog. Fim de ano é complicado na faculdade, provas e mais provas e trabalhos, e todo esse blá blá blá. Mas estou atualizando o blog com a 2° parte do artigo “A causa das doenças está no pé”. Espero que aproveitem as informações!

Teoria do Dr. Scholl

“O famoso Dr. Scholl, Estados Unidos, escreveu acerca dos pés:

Os ossos e os músculos do pé estão agrupados de tal maneira que formam os arcos frontal e lateral, permitindo que, ao andar, os ossos se movimentem a cada passo. Os músculos dos pés estão ligados aos vasos sanguíneos, aos linfáticos e aos nervos de maneira impressionante e minuciosa.

Um defeito no pé pode subjulgar a saúde de todo o corpo. A dor no pé é como a eletricidade: transmite-se a todas as partes do corpo. Por menor que seja o distúrbio no pé, se não for tratado, causará sérios danos ao organismo. Se o pé tiver defeito, causará amigdalite, problemas nos olhos, ouvidos, nariz e boca. Fortalecendo-se o pé e conhecendo sua relação com outras partes do corpo, certamente, as doenças citadas serão curadas com facilidade.

A bolha e o calo no pé, o endurecimento dos dedos, as doenças de Morton, de Kohler, o pé plano, a hipersensibilidade no calcanhar ou outras doenças do pé e distúrbios nos joelhos estão sempre relacionados com amigdalite. As varizes nas pernas estão relacionadas com a escrofuloderma na região do pescoço. A dor nas pernas, bem como na região da virilha, está relacionada com dor de dente.

O cansaço físico se relaciona com defeito nos pés. O peso nos ombros e a bursite estão relacionados com a dor nos pés e com problemas no aparelho respiratório. A enxaqueca esta relacionada com um dos seguintes sintomas: dor nos pés, pernas, virilhas, distúrbios cardíacos, renais ou respiratórios.

Segundo o Dr. Scholl, durante 30 anos de vida clinica, não observou nenhuma falha nessas afirmações.

Método do Dr. Scholl referente à correção de pés defeituosos

O mais representativo dos métodos do Dr. Scholl é o uso de sapato especial. Seu método visa o repouso dos pés e leva, por isso, muito tempo para atingir o alvo. Infelizmente, o Dr. Scholl não tinha conhecimento sobre os glomos e o exercício do vaso capilar.

Na Unibiótica, através do exercício de vaso capilar que estimula a função dos glomos, a correção do pé defeituoso é alcançada num curto espaço de tempo. As doenças, como a de Morton, Soarell, Albert, se não estiverem em um estado muito avençado, podem ser curadas apenas com o exercício do vaso capilar.

Como corrigir o pé plano

Dr. Scholl explicou, da seguinte maneira, os fatores que provocam o pé plano:

– cansaço devido a longo tempo em pé

– dor nas costas dos pés

– dor no calcanhar

– inchaço no pé e calcanhar

– endurecimento dos dedos do pé e bolhas

– sensação de estar pisando em pedras

– reumatismo no pé e perna

– cansaço e puxões nas pernas ao acordar

– calo na planta do pé

– excesso de transpiração no pé

– dor no joelho ou no quadril

– desgaste irregular dos sapatos

Segundo o Autor, se o bebê não engatinhar o suficiente, por ficar o tempo todo no colo ou por ser forçado a andar precocemente, ele virá a ter pé plano quando crescer.

Para corrigir o pé plano, a Unibiótica sugere a prática do exercício do vaso capilar junto com o seguinte: na posição deitada, tentar trazer o pé, de cada vez, para a cabeça com as pernas totalmente esticadas e o pé, formando 90°, com a perna. Dessa maneira, o pé poderá ser corrigido.

O pé é a base de milhares de doenças. A Unibiótica é uma medicina que pode resolver o problema do pé e suas conseqüências.”

Texto retirado do livro: ABC da Saúde II – Autor: Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1988.

Essa parte sobre os pés é grande e por isso preferi dividir o artigo em vários outros pequenos artigos para não fique cansativo na hora de ler. Em breve estarei postando a 3° parte deste artigo ok?

Um forte abraço a todos e obrigada pela visita!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

A causa das doenças está no pé – parte I

Posted on novembro 5, 2008. Filed under: Teoria e Prática |

pe

“Quando o alicerce de um edifício é defeituoso, as colunas ficam inclinadas, as paredes apresentam rachaduras e as portas ficam tortas. Da mesma forma, o pé, sendo alicerce do corpo, influencia-o assim como influencia a mente.

Não se pode fortalecer a base com medicamentos. A questão dos membros pode ser resolvida, conhecendo-se o mecanismo dos glomos na circulação.

Precionando-se, ao mesmo tempo, o quarto dedo, contando a partir do dedo maior, dos dois pés, um dos dedos apresentará maior dor. É onde está escondida a causa da doença. O pé é par ao homem o que o alicerce é para o edifício, ou a roda para o carro. O homem, com problemas nos pés e nas pernas sofrerá de distúrbios na parte superior do corpo.

O pé do homem é formado pela ligação de 26 ossos e por uma imensa rede de terminais nervosos. Por isso, o defeito no pé se propaga até o alto da cabeça. Devido à postura vertical, ereta no ser humano, o peso total do corpo é suportado pelos pés. Essa sobrecarga provoca distúrbios.

Pesquisas práticas revelam que 95% das pessoas tem problema nos pés, 100% das pessoas enfermas, também os apresenta. A doença e o envelhecimento precoce começam nos pés. A perna perde a força e o corpo parece pesar demais ao caminhar. A preguiça de andar aparece, há enrijecimento muscular, varizes, inchaços e câimbras. O pé sempre está mais frio do que o restante dos órgãos. O enfraquecimento das pernas desvia a coluna vertebral trazendo problemas da seguinte natureza aos órgãos internos e à circulação: dor de cabeça, reumatismo, cansaço, paralisação de nervos, distúrbios na garganta, nariz, visão e complicações intestinais. Além desses, podem ser incluídos problemas ligados aos rins e ao coração, à diabete e ao câncer.

Negligenciar, portanto, o papel dos pés é evitar a saúde integral do corpo. Se ocorrer cirurgia o problema volta. Por que? É que os pés não foram retificados e a raiz do problema continua viva. A retificação dos pés repara a coluna e cura, com facilidade complicações no nariz e nos olhos.

Problemas nos braços influenciam o coração ( já ouvi relatos de pessoas que foram vitimas de infartos e ataques do coração, dizerem que minutos antes de terem a crise, sentiram uma forte dor no braço ), os pulmões e os órgãos acima do diafragma. O fortalecimento das pernas e braços possibilita a cura de problemas ligados aos rins, coração, pulmão, tuberculose, etc.

Pé, causa de milhares de doenças

O pé e os quatro princípios da Unibiótica

A Unibiótica considera a relação entre seus quatro princípios, ou seja, entre a pele, a alimentação, os membros e a mente, fundamentais para uma vida saudável.

Falaremos agora sobre a relação existente entre o pé e a pele, e, de modo especial, sobre a função principal da pele, o suor, relacionada com o pé.

O homem, de uma postura original, isto é, caminhando sobre os quatro membros, passou a andar com dois pés, em posição ereta. Isso fez com que todo o peso do corpo se concentrasse sobre o tornozelo e o calcanhar, forçando-os, excessivamente, e causando subluxação. Essa subluxação provoca infecção no local. Para combater a infecção, o cérebro ordena o aumento da temperatura do corpo. Muitas vezes esse aumento não é perceptível. A pessoa começa a ter mais sensibilidade ao frio e, a partir de então, começa a vestir-se com roupas mais quentes. Vestindo-se dessa forma, prejudica a função de transpiração da pele, causando excesso de transpiração. Já se sabe que, na transpiração, perde-se alem de água, sais e vitamina C.

A falta de água no organismo eleva a quantidade de guanidina sendo ela uma das causas provocadoras de ulcera e uremia. A falta de sais pode ocasionar neurite nas pernas e nos pés, e a falta de vitamina C pode causa hemorragia interna.

No começo, causa sangramento nas gengivas e defeitos na 3ª e 4ª vértebras cervicais, trazendo o mau funcionamento das glândulas paratireóides e, em conseqüência, espasmos, endurecimentos e contrações.

Como se pode observar, os defeitos nos pés criam o hábito de se vestir roupas pesadas, as quais provocam a transpiração. Se esses pequenos fatos forem negligenciados podem evoluir para doenças graves. O corpo considerado sob o ponto de vista da doença, possui caráter de circulo vicioso.

Existe uma relação muito intima entre mão e cérebro. Pessoa habilidosa com os dedos é inteligente. O homem, a partir do momento em que ficou ereto, livrou as mãos do trabalho da locomoção dando-lhes liberdade de movimento. Devido a isso o cérebro desenvolveu-se ainda mais devido a estimulação de novas atividades manuais.

Mas, a posição ereta do homem não trouxe apenas vantagens. Devido a posição ereta, os pés ficaram com todo o peso do corpo, antes dividido com os membros superiores.”

Este texto foi retirado do livro: ABC da Saúde II – Autor: Dr. Jong Suk Yum – Editora Convite do Brasil – 1988

Este artigo é um pouco extenso e achei melhor dividi-lo em partes. Essa foi a primeira parte, em breve estarei postando a 2ª parte deste artigo ok?

Um abraço a todos e obrigada pela visita! Ajude a divulgar a Unibiótica!

Regina

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...